Início Notícias "Frank Williams chorava quando lembrava Senna. Parecia uma ferida aberta"

"Frank Williams chorava quando lembrava Senna. Parecia uma ferida aberta"

Pastor Maldonado, antigo piloto de Fórmula 1, detém aquela que é a última vitória da Williams na categoria rainha do automobilismo. Foi a 13 de maio de 2012, na Catalunha.

O ex-Williams, hoje com 36 anos, recordou a sua entrada na equipa britânica após a recente morte de Sir Frank Williams, mítico chefe de equipa da F1.

“No primeiro dia em que entrei na sede da Williams, O Frank veio receber-me e fez-me imediatamente sentir à vontade, explicando que sempre teve uma aproximação com os pilotos latinos”, começou por lembrar Maldonado, em declarações ao Motortsport.com.

O venezuelano, que esteve ligado à Williams durante três temporadas, recordou também várias conversas com Frank Williams com Ayrton Senna como assunto de destaque.

“A reunião no seu escritório tornou-se rotineira quando visitava a sede da Williams e, na maioria das vezes, o Frank falava comigo sobre o Ayrton. Vi-o chorar várias vezes quando se lembrava, parecia uma ferida aberta. Talvez o Frank tenha visto em mim uma pessoa com quem poderia falar sobre algo que o atormentava”, confessou o piloto.

“Conversar com o Frank era uma espécie de lição, de motivação, ver uma pessoa com os seus limites a manter a determinação e uma energia incrível. Essa era uma mensagem que carregava comigo”, concluiu Maldonado.