Início Mundo Reunião de Moscovo pede à ONU para promover conferência de doadores

Reunião de Moscovo pede à ONU para promover conferência de doadores

Em paralelo, Kabulov exortou os talibãs a manterem os seus compromissos pelo respeito pelos direitos humanos e o pluralismo político, para poderem garantir reconhecimento internacional.

“Isso foi dito à delegação afegã, e esse momento apenas surgirá quando começarem a respeitar a maioria das expectativas da comunidade internacional em relação aos direitos humanos e ao caráter inclusivo” do regime, acrescentou o enviado do Kremlin.

Kabulov também sublinhou que os dez países participantes na reunião moscovita concordaram na necessidade de “ajudar o povo afegão a evitar uma iminente crise que alguns designam de catástrofe humanitária”.

Nesse sentido, precisou que a conferência internacional de doadores deverá centrar-se na disponibilidade em oferecer assistência social e económica para a reconstrução do Afeganistão pós-conflito.

Ainda numa referência ao reconhecimento do novo poder em Cabul, Kabulov precisou que não deverá apenas significar uma equilibrada representação étnica nas estruturas dirigentes, antes “uma representação etno-política de forma a que não existam apenas forças [no Governo interino] que partilhem o ponto de vista do movimento talibã, mas também representantes de outras forças políticas” no Afeganistão.

O vice-primeiro-ministro do movimento fundamentalista, Abdul Salam Hanafi, que liderou a delegação talibã de alto nível presente em Moscovo, assinalou aos ‘media’ que a atual composição do Executivo transitório é inclusiva.

“Agora, o Governo do Afeganistão inclui todos. Existem 50.000 funcionários do antigo Governo que estão a trabalhar connosco”, revelou.

Leia Também: Rússia reconhece esforços do governo talibã para estabilizar Afeganistão