Início Mundo Angola regista 178 novos casos positivos e dois óbitos no último dia

Angola regista 178 novos casos positivos e dois óbitos no último dia

Franco Mufinda, que procedia à apresentação da situação epidemiológica da Covid-19 no país, disse que as mortes foram registadas nas províncias da Huíla e do Huambo, de homens e mulheres com idades entre 60 e 81 anos.

As recuperações foram reportadas nas províncias de Luanda, com 412 pacientes, seguida do Huambo (35), Benguela (6), Cuanza Sul (5), Huíla (2), Bié (2), Cunene (1) e Bengo (1), com idades entre 1 mês e 81 anos.

Com os dados das últimas 24 horas, o país tem ativos 5.045 casos, dos quais 18 em estado crítico, 25 graves, 33 moderados, 30 leves e 4.939 assintomáticos, estando em internamento 106 doentes, em quarentena institucional 93 e sob vigilância epidemiológica 2.383 contactos.

O governante angolano referiu que a taxa de letalidade é de 2.3%, manifestando preocupação com as províncias do Huambo e Huíla no que se refere ao número de óbitos.

Os laboratórios, no período em análise, processaram 2.460 amostras por RT-PCR, com uma taxa diária de positividade de 7.2%, apontando o cumulativo para 624.292 amostras processadas até à data.

Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda, capital de Angola, foram testadas 374 pessoas, sendo 318 do sexo masculino e 56 do sexo feminino, sem nenhum caso confirmado.

Quanto à testagem obrigatória pós desembarque no aeroporto internacional, desde 16 de janeiro foram testados 55.016 viajantes, sendo 40.703 do sexo masculino e 14.313 do sexo feminino, dos quais 113 testaram positivo.

No que se refe à vacinação, hoje foram administradas 19.248 doses contra a Covid-19, sendo 16.226 da primeira e 3.022 da segunda dose, totalizando assim, desde 2 de março deste ano, 1.417.705 doses, das quais 896.564 da primeira e 521.141 da segunda.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 3.844.390 mortos no mundo, resultantes de mais de 177,3 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Angola tem mais de 50 mil refugiados e Governo admite falhas de registo