Início Mundo Mais 20 mil doses de vacinas oferecidas pela Austrália chegam a Timor

Mais 20 mil doses de vacinas oferecidas pela Austrália chegam a Timor

 

O carregamento, que chegou hoje a Díli, é o segundo depois do primeiro lote enviado para o país no passado dia 05 de maio, no âmbito do programa de apoio australiano à vacinação contra a covid-19 em Timor-Leste.

Peter Roberts, embaixador australiano em Díli, confirmou à Lusa que a Austrália vai continuar a enviar carregamentos “com regularidade”, no âmbito de uma oferta que permitirá cobrir até 80% da população do país.

“A Austrália está a trabalhar para garantir uma cobertura abrangente de vacinação para os nossos vizinhos próximos, incluindo Timor-Leste. Em conformidade com o nosso compromisso de garantir vacinas contra a covid-19 seguras e eficazes para os 80% da população de Timor-Leste não abrangida pelo Covax [programa apoiado pelas Nações Unidas], continuarão a chegar novos carregamentos de vacinas australianas”, explicou Roberts.

Roberts recebeu hoje o carregamento, no aeroporto de Díli, acompanhado da ministra dos Negócios Estrangeiros timorense, Adaljiza Magno.

Dados da comissão interministerial responsável pelo plano de vacinação contra a covid-19, a que a Lusa teve acesso, indicam que os 2.000 frascos do primeiro carregamento permitiram até terça-feira administrar a primeira dose a um total de 20.004 pessoas.

Assim, e até ao final do dia de terça-feira, já foram inoculadas com a primeira dose em Díli quase 36 mil pessoas, o que representa 10,2% da população da capital, com cerca de 352 mil habitantes.

Em termos nacionais, já receberam a primeira dose mais de 48.500 pessoas, o que equivale a cerca de 3,4% da população, estimada em 1,45 milhões de pessoas.

Ainda que cada frasco permita cerca de 10 doses da vacina, responsáveis da Organização Mundial de Saúde (OMS) explicaram à Lusa que os produtores incluem sempre uma quantidade maior em cada frasco.

Cada unidade tem cerca de 6,2 mililitros, o que permite administrar entre 11 a 12 doses e assim ampliar ligeiramente o número de pessoas inoculadas.

Recorde-se que Timor-Leste iniciou no passado dia 10 de maio a segunda fase do programa de vacinação, dirigido a pessoas com mais de 60 anos, com comorbidade, ou trabalhadores da linha da frente.

Ainda assim, e dada a afluência aos locais de vacinação, espalhados por vários pontos da cidade, houve também outros cidadãos que já foram vacinados.

Dada a prevalência da doença na capital, que chega a ser de quatro ou cinco vezes a do resto do país, as autoridades timorenses decidiram concentrar em Díli a administração do segundo lote de cerca de 20 mil doses oferecidas pela Austrália.

Às 20.004 vacinas dadas em Díli entre 10 e 18 de maio somam-se as 15.835 pessoas que já tinham sido inoculadas em abril, para um total de 35.929 pessoas na capital que já receberam a primeira dose da AstraZeneca.

Com os primeiros 2.400 frascos da vacina da AstraZeneca enviados para o país, no âmbito do programa multilateral Covax, Timor-Leste vacinou 28.331 pessoas, mais do que o previsto, de acordo com dados do Ministério da Saúde timorense e com o representante da OMS.

Ainda este mês, a OMS e a UNICEF, parceiros do programa Covax, esperam que possam chegar a Díli mais 76 mil doses da AstraZeneca, permitindo continuar a vacinação na capital, incluindo a segunda dose para os primeiros vacinados, e retomar a vacinação fora de Díli.

Timor-Leste está atualmente a viver o pior momento da pandemia da covid-19, com 10 mortos e máximos diários de casos e hospitalizações.

O país tem atualmente 2.238 casos ativos, cerca de 83% em Díli.

As autoridades estimam que, no entanto, possa haver mais de 50 mil pessoas infetadas em Díli.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.391.849 mortos no mundo, resultantes de mais de 163,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Governo timorense quer renovar estado de emergência e acelerar vacinação