Início Notícias Algarve. Lavrar o Mar apresenta espetáculo itinerante noturno na natureza

Algarve. Lavrar o Mar apresenta espetáculo itinerante noturno na natureza

 

Durante o espetáculo, promovido no âmbito do projeto Lavrar o Mar, o público vai sendo guiado entre vários locais na natureza, com partida ao pôr-do-sol do Lugar da Rocha, em Marmelete, descendo da serra de Monchique até à vila de Aljezur, numa caminhada de cerca de duas horas, somando nove quilómetros.

Madalena Victorino, diretora artística do Lavrar o Mar, contou à Lusa que ‘Quando’ é um espetáculo que junta voz, movimento, música e dramaturgia, em que os “todos os textos captados e ditos são citações de filósofos, ativistas e artistas que têm coisas a dizer sobre o mundo”, focando-se em temas ligados à terra e à água.

O espetáculo – que vai ser apresentado em quatro sessões, entre quinta-feira e domingo -, envolve um conjunto de 20 pessoas, de várias nacionalidades, idades e com “histórias de vida muito diferentes, que se unem para formar um coletivo que fala da importância de estar perto da terra”.

Segundo Madalena Victorino, ‘Quando’ tem grandes sequências de movimento e de canto inspirado “nos hinos mineiros do mundo”, remetendo para locais “onde a escravatura do século XXI ainda existe”.

Os espectadores vão sendo guiados entre vários locais, havendo um espaço maior, uma eira, “onde acontecem as grandes sequências do espetáculo”. Ao longo do percurso, existirão uma espécie de “salas em espaço natural” para “fazer acontecer ficções de canção e movimento”.

Questionada sobre a escolha do nome ‘Quando’, a coreógrafa e antiga bailarina explicou que não se trata “tanto de uma pergunta, mas de uma afirmação: quando é que nós mudamos a nossa relação com a terra, com a água, com a nossa respiração e com a respiração de todos e do mundo”.

Os bilhetes para o espetáculo, que se inicia às 19h30 e é dirigido a maiores de 12 anos, custam 10 euros.

A organização pede ao público que leve calçado confortável e roupa quente.

O Lavrar o mar é um projeto artístico criado em 2016 e integrado na programação cultural em época baixa nos territórios de Monchique e de Aljezur.

O seu financiamento é assegurado pelas secretarias de Estado da Cultura e do Turismo, Direção-Geral das Artes, Região de Turismo do Algarve, Turismo de Portugal e pelos municípios algarvios de Aljezur e de Monchique.

Leia Também: ‘Cordyceps’, um espetáculo sobre um fungo ideológico no fim da democracia