Início Mundo África com mais 554 mortos e 17.401 infetados nas últimas horas

África com mais 554 mortos e 17.401 infetados nas últimas horas

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de casos na região é de 4.709.921 e o de recuperados é de 4.261.603, mais 15.054 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afetada, com 2.018.985 casos e 63.351 óbitos associados à doença covid-19.

Nesta região, só a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, contabiliza 1.617.840 casos e 55.340 mortes.

O Norte de África é a segunda zona mais atingida, com 1.419.368 infetados e 42.501 vítimas mortais.

A África Oriental regista 633.646 infeções e 12.286 mortos, enquanto na África Ocidental o número de infeções é de 468.188 e o de mortes é de 6.181. Na África Central, os casos de infeção ascendem a 169.734 e há 2.682 óbitos registados.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 14.441 mortes e 248.078 infetados, seguindo-se a Tunísia, com 11.971 mortes e 328.528 casos de infeção. Marrocos contabiliza 515.420 casos de infeção e 9.105 mortes associadas à covid-19.

Entre os países mais afetados estão também a Etiópia, com 4.021 vítimas mortais e 267.100 infeções, e a Argélia, com 3.388 mortos e 125.693 infetados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 828 mortes e 70.485 casos, seguindo-se Angola (685 óbitos e 31.049 casos de infeção), Cabo Verde (252 mortos e 28.410 casos), Guiné Equatorial (112 óbitos e 7.694 casos), Guiné-Bissau (67 mortos e 3.746 casos) e São Tomé e Príncipe (35 mortos e 2.314 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.391.849 mortos no mundo, resultantes de mais de 163,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: AO MINUTO: Reclusos vacinados no final do mês. UE abre porta a imunizados