Início Mundo São Tomé. Delfim Neves e Jorge Amado candidatos às presidenciais

São Tomé. Delfim Neves e Jorge Amado candidatos às presidenciais

“Com este ato o candidato transmitiu a mensagem de que está decidido, está apostado, está convicto de vir a ser eleito Presidente de todos os são-tomenses, que ele está comprometido com a causa de todos os são-tomenses, comprometido com os problemas da juventude, das mulheres e dos velhos”, afirmou o mandatário de Delfim Neves.

Hamilton Vaz disse que Delfim Neves promete exercer “uma magistratura ímpar, caracterizada por dinamismo e pragmatismo, jamais vista em todos os Presidentes que já governaram o país”.

O mandatário sublinhou que a candidatura de Delfim Neves “é de paz, é uma candidatura de harmonia, uma candidatura de coesão”, prometendo, por isso, “não atacar” outras candidaturas durante a campanhas eleitoral que arranca oficialmente em 02 de julho.

“A candidatura de Delfim Neves não está para atacar, defenderá dos ataques, mas o propósito chave é apresentar o plano de sociedade dentro daquilo que são as prerrogativas de um Presidente da República no nosso contexto constitucional”, explicou Hamilton Vaz.

Atualmente presidente da Assembleia Nacional, Delfim Neves concorre ao pleito eleitoral de 18 de julho com o apoio do Partido da Convergência Democrática, de que é vice-presidente, e terceira maior força política no parlamento e o segundo mais importante na atual coligação governamental.

Jorge Amado que também entregou hoje o documento para a formalização da sua candidatura no TC entra na corrida ao cargo de Presidente da República como independente.

“A candidatura do Dr. Jorge Amado está centralizada nos jovens e o lema é ‘Agir para Mudar São Tomé e Príncipe’ e promete ser o Presidente de todos e para todos os são-tomenses”, declarou o seu mandatário, Deomary da Luz.

Jorge Amado foi presidente do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe – Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural e deputado da Assembleia Nacional.

A dois meses das eleições presidenciais, marcadas para 18 de julho, perto de uma dezena de políticos já formalizaram a sua candidatura, mas vários outros já anunciaram a intenção de entrar na corrida ao ‘Palácio Cor de Rosa’, incluindo pelo menos cinco militantes do MLSTP-PSD, partido no Governo.

Leia Também: Apartamentos e moradias: Os prós e contras destes tipos de imóveis