Início Mundo África com mais 309 mortos e 7.882 infetados nas últimas 24 horas

África com mais 309 mortos e 7.882 infetados nas últimas 24 horas

 

Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de casos na região é de 4.692.520 e o de recuperados é de 4.246.549, mais 7.857 nas últimas 24 horas.

A África Austral continua a ser a região mais afetada, com 2.012.752 casos e 63.164 óbitos associados à doença covid-19.

Nesta região, só a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, contabiliza 1.613.728 casos e 55.210 mortes.

O Norte de África é a segunda zona mais atingida, com 1.413.822 infetados e 42.239 vítimas mortais.

A África Oriental regista 631.780 infeções e 12.235 mortos, enquanto na África Ocidental o número de infeções é de 467.223 e o de mortes é de 6.168. Na África Central, os casos de infeção ascendem a 166.943 e há 2.641 óbitos registados.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 14.327 mortes e 245.721 infetados, seguindo-se a Tunísia, com 11.849 mortes e 326.572 casos de infeção. Marrocos contabiliza 514.944 casos de infeção e 9.098 mortes associadas à covid-19.

Entre os países mais afetados estão também a Etiópia, com 3.996 vítimas mortais e 266.264 infeções, e a Argélia, com 3.374 mortos e 125.311 infetados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 828 mortes e 70.463 casos, seguindo-se Angola (677 óbitos e 30.791 casos de infeção), Cabo Verde (251 mortos e 28.281 casos), Guiné Equatorial (112 óbitos e 7.694 casos), Guiné-Bissau (67 mortos e 3.746 casos) e São Tomé e Príncipe (35 mortos e 2.314 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: África enfrenta uma “divergência perigosa” com o resto do mundo