Início Mundo Alterações climáticas. França vai reforçar cooperação com Índia

Alterações climáticas. França vai reforçar cooperação com Índia

 

Num debate sobre o fortalecimento da ação global contra as mudanças climáticas, organizado pela embaixada francesa em Nova Deli, Le Drian lembrou o “objetivo impressionante” definido pelo primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, para o desenvolvimento de 450 gigawatts de capacidade de energia renovável até 2030.

 “[A Índia] está a melhorar a sua eficiência energética e a desenvolver energias renováveis a uma velocidade excecional”, sublinhou o chefe da diplomacia francesa.

Le Drian sublinhou que o ministro do Ambiente, Florestas e Alterações Climáticas indiano, Prakash Javadekar, que o ladeava, lhe disse que a Índia está já à frente dos objetivos traçados na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2015 (COP21).

Nesse sentido, Le Drian reafirmou a “mobilização total” da França e da União Europeia (UE) para cooperar com a Índia para se conseguir ir ainda mais longe nos objetivos a alcançar.

O ministro francês sugeriu que Paris e Nova Deli devem “inventar juntos” as soluções essenciais para enfrentar o desafio climático na transição ecológica, energias renováveis, eficiência energética, cidades sustentáveis e proteção ambiental.

Le Drian propôs ainda “aprofundar ainda mais” a colaboração entre os dois países para se criar rapidamente um setor industrial competitivo e reduzir os custos de produção do hidrogénio livre de carbono. 

“A nossa cooperação será tanto mais frutífera quanto tivermos semelhanças ao nível do ‘mix’ elétrico, que se baseia nas energias renováveis e nucleares, o que constitui um forte trunfo para o desenvolvimento da nossa produção de hidrogénio livre de carbono”, defendeu o ministro.

A França e a Índia também poderão trabalhar juntas na luta contra os plásticos de uso único, referiu ainda Le Drian.

“Estamos interessados em convidar outros países a aderir a esta dinâmica e, por que não, a trabalhar juntos numa moratória sobre os plásticos individuais de uso único”, sublinhou.

Prakash Javadekar, por seu lado, referiu que a colaboração com a França “será cada vez mais profunda”, uma vez que Modi e o homólogo francês, Emmanuel Macron, “têm uma boa química eles”.

Recordando que os Estados Unidos são responsáveis por grande parte de emissões de dióxido de carbono, o mesmo sucedendo com a Europa nos últimos 150 anos e a China há 30/40 anos, o ministro indiano frisou que a Índia não é “um grande emissor”.

“Não somos responsáveis pelas alterações climáticas. No entanto, hoje enfrentamos ameaças comuns e estamos prontos para agir. Pretendemos desencorajar o carvão e queremos promover a energia solar e as energias renováveis”, acrescentou.

Leia Também: Covid-19: Há pessoas que “querem um conflito entre França e Brasil”