Início Mundo Príncipe Filipe: Parlamentos prestam homenagens específicas

Príncipe Filipe: Parlamentos prestam homenagens específicas

Em Londres, os deputados reduziram em um dia as férias da Páscoa para prestar uma homenagem solene ao marido da Rainha Isabel II, marcada para esta tarde em Westminster, antes do seu funeral, a realizar no sábado.

Os membros do parlamento escocês fizeram-nos primeiro, saudaram a memória daquele que também era duque de Edimburgo, tendo a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, dirigido hoje uma sessão extraordinária, tal como fizeram os parlamentos galês e norte-irlandês, que também dedicaram homenagens específicas ao príncipe Filipe.

“É correto o nosso parlamento homenageá-lo hoje. Ao fazê-lo, lamentamos sua morte e enviamos as nossas mais profundas condolências a sua majestade a Rainha e à sua família”, disse Sturgeon.

No seu discurso, a líder independentista escocesa lembrou o “historial distinto de guerra (do duque), o seu amor e apoio à Rainha e as décadas de serviço público à Escócia, ao Reino Unido e à Commonwealth”.

A dirigente do Partido Nacionalista Escocês, no poder, também recordou o “interesse particular que (o consorte da monarca britânica) tinha na indústria e na ciência” e a “visão de futuro que mostrou no seu apoio à conservação”.

“De facto, em 1969, num discurso que fez aqui em Edimburgo, alertou sobre os riscos dos plásticos virtualmente indestrutíveis”, disse.

Sturgeon sublinhou ainda que “em 1956, fundou o programa do prémio duque de Edimburgo, que proporciona oportunidades, esperança e inspiração a mais de um milhão de jovens em mais de 100 países ao redor do mundo”.

A nível mais pessoal, a primeira-ministra lembrou que sempre gostou de conversar com o duque sobre literatura e descreveu-o como “um homem detalhista, profundamente interessante e muito inteligente”.

Depois de servir na Segunda Guerra Mundial, “enfrentou o desafio de ser marido de uma mulher poderosa, numa época em que isso ainda era mais raro do que é hoje”, sublinhou a primeira-ministra escocês, Nicola Sturgeon.

A memória de Filipe, nascido príncipe da Grécia e da Dinamarca, foi homenageada muito além do Reino Unido, como foi o caso de duas aldeias em Vanuatu, um arquipélago do Oceano Pacífico, membro da Commonwealth, uma associação de 54 países herdada do império colonial britânico.

“O espírito do príncipe Filipe deixou o seu corpo, mas continua vivo”, disse Albi, chefe da vila de Yakel, onde o duque de Edimburgo é adorado como uma divindade.

No Reino Unido, as homenagens foram realizadas desde a morte do príncipe, na sexta-feira, aos 99 anos, com tiros de canhão em todo o país no sábado e minutos de silêncio nos estádios.

Centenas de flores acumulam-se do lado de fora dos portões de Windsor e do Palácio de Buckingham, apesar dos apelos para que o público não se reúna devido à pandemia.

As cerimónias fúnebres levaram o príncipe Harry a regressar ao Reino Unido, onde chegou no domingo, de acordo com a imprensa, depois de um ano sem pisar território inglês, o que também gerou esperanças de reconciliação da família.

No sábado, Harry e William seguirão o caixão do avô a pé, até à capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, onde se realizará a cerimónia de despedida.

A cerimónia, de caráter privado, será transmitida pela televisão e em todo o Reino Unido será guardado um minuto de silêncio, no início do funeral, que terá honras reais e não de Estado, cumprindo um pedido em vida do príncipe Filipe.

O príncipe Filipe, também conhecido por duque de Edimburgo, participou ativamente na preparação do seu funeral, incluindo no projeto de modificação do veículo, um jipe, que transportará o seu caixão, que será seguido pela família real.

A cerimónia respeitará as diretrizes do Governo britânico de regras de combate à pandemia de covid-19, que restringe a 30 o número de pessoas autorizadas a estar presentes em funerais, mas o palácio de Buckingham não confirmou se os membros da família serão obrigados ao uso de máscara de proteção individual.

Leia Também: Príncipe William abre o coração em carta inédita em memória ao avô