Início Mundo Chefe da diplomacia checa destituído após proposta de rutura com aliado

Chefe da diplomacia checa destituído após proposta de rutura com aliado

“É uma decisão da liderança social-democrata e respeito-a. O primeiro-ministro não tem certamente motivos para impedir ou travar esta demissão e o chefe de Estado já se pronunciou (a favor da demissão)”, declarou o político europeísta, numa conferência de imprensa citada pelas agências internacionais.

Não é segredo que desde há algum tempo que não sou visto com bons olhos no Castelo de Praga [sede da Presidência da República Checa]“, acrescentou.

Na passada sexta-feira, durante um congresso do Partido Social-Democrata checo (CSSD, centro-esquerda), Tomas Petricek tentou alcançar a liderança da formação política com um programa que previa uma rutura com os liberais populistas da ANO, liderados pelo primeiro-ministro checo, Andrej Babis.

O congresso acabaria por revalidar a atual liderança do CSSD, assumida pelo ministro do Interior checo, Jan Hamacek, que comunicou prontamente a Tomas Petricek a sua intenção de afastá-lo de funções.

Petricek, de 39 anos, estava à frente da diplomacia checa desde as eleições legislativas de 2018, tendo sempre mantido uma orientação pró-europeia, posição sempre encarada com ceticismo por parte do Presidente checo, Milos Zeman, que defende relações especiais com outros atores internacionais, em particular com Moscovo e Pequim.

O confronto de posições com o chefe de Estado checo, que em várias ocasiões criticou abertamente o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros, foi intensificado após as críticas de Tomas Petricek em relação à entrada da empresa russa Rosatom no concurso para a amplificação da central nuclear checa de Dukovany e à compra da vacina contra a doença covid-19 russa Sputnik V, que ainda não está autorizada no espaço da União Europeia (UE).

Os ‘media’ checos estão a avançar que o atual ministro da Cultura, Lubomir Zaoralek, poderá vir a ser o possível novo inquilino do Palácio Cernin, sede da diplomacia checa.

Tomas Petricek é a segunda demissão registada em poucos dias no executivo de Praga, depois da saída, na passada quarta-feira, do ministro da Saúde, Jan Blatny, que se opôs à utilização da vacina Sputnik V, posição que recebeu as críticas do primeiro-ministro e do Presidente checos.