Início Notícias "A pandemia afetou todos os clubes, mas mais o Benfica"

"A pandemia afetou todos os clubes, mas mais o Benfica"

Já lá vão quase dois anos desde que Jonas colocou ponto final na carreira de jogador profissional. No entanto, continua a seguir com particular atenção a atualidade do Benfica, equipa que representou entre 2014 e 2019, e pela qual marcou 137 golos em 183 partidas oficiais.

Em entrevista concedida à edição deste sábado do jornal O Jogo, o ex-internacional brasileiro não esconde a desilusão para com a temporada que a antiga equipa tem vindo a assinar, mas recorda tudo aquilo por que esta passou.

“A expetativa é sempre grande, com a chegada do Jorge Jesus e com tudo o que ele representa, não só no futebol, mas também no Benfica. A pandemia afetou todos os clubes, mas mais o Benfica. Até uma determinada altura o campeonato estava equilibrado, mas o Benfica perdeu muitos pontos com equipas que não deveria perder, porque é muito superior”, afirmou.

“No Benfica a cobrança é muito grande. Sabemos que é muito difícil controlar a pandemia. Mas isso é para todos. O Benfica teve uma desvantagem porque num curto período de tempo perdeu muitos jogadores e talvez o rendimento possa ter sido afetado”, acrescentou.

O antigo avançado aconselhou, ainda, os encarnados a ‘esquecer’ o troféu de campeonato nacional, numa altura em que o líder, o Sporting, está a 13 pontos de distância: “Hoje o Benfica tem de pensar mais no segundo lugar do que propriamente no título porque o Sporting está muito distanciado. Sabemos o quão importante é para o clube a Champions, e principalmente o lugar de acesso direto”.

“Este ano tivemos um exemplo em que o Benfica foi para a pré-eliminatória e não entrou. Por isso é melhor evitar a pré-eliminatória e entrar diretamente, é bom em todos os sentidos”, completou.

Leia Também: “Estamos esperançados que o fim de época vai trazer muitas alegrias”