Início Mundo Antigo primeiro-ministro escocês lança novo partido nacionalista

Antigo primeiro-ministro escocês lança novo partido nacionalista

 

O Partido Alba vai concorrer às eleições de 6 de maio para o parlamento autónomo, acentuando o conflito com a sucessora de Salmon, Nicola Sturgeon, a qual acusou de irregularidades na forma como tratou as alegações de assédio sexual feitas contra si por várias mulheres e das quais foi ilibado pela justiça.

“Nas próximas seis semanas, vamos promover novas ideias sobre como levar a Escócia para a frente, dando prioridade à recuperação económica da pandemia e à conquista da independência do nosso país”, disse Salmond.

O anúncio surge um dia depois de anunciar um processo jurídico contra a “conduta” do alto funcionário público escocês Leslie Evans, ao qual atribui responsabilidades pelas falhas destacadas em dois relatórios publicados desta semana sobre a investigação do Governo às queixas de assédio.

Alex Salmond, de 66 anos, foi ilibado de 13 acusações no Tribunal Superior de Edimburgo em março do ano passado, depois de ter sido preso em janeiro de 2019.

Salmond queixou-se de que o tratamento pelo governo escocês foi injusto e um inquérito concluiu que o processo foi “manchado por aparente parcialidade”, resultando no pagamento de uma indemnização de mais meio milhão de libras ao ex-primeiro ministro escocês.

Na terça-feira, uma comissão parlamentar concluiu que o tratamento das queixas contra Salmond apresentou “deficiências graves” e criticou Sturgeon por mentir sobre quando soube das alegações, mas uma investigação independente liderada pelo antigo procurador James Hamilton concluiu que a líder escocesa não violou o código de conduta do Governo.

Sondagens recentes indicam que esta controvérsia afetou a popularidade do SNP, pondo em causa uma maioria absoluta nas eleições regionais de 06 de maio e também o apoio a um segundo referendo à independência, que estava em crescimento. 

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tem reiteradamente recusado a possibilidade de um novo referendo nos próximos anos. 

Chefe do Governo escocês desde 2007, Salmond deixou a liderança do SNP em 2014, na sequência da derrota no referendo à independência, quando 55% dos eleitores votaram pela permanência no Reino Unido. 

Em 2017 perdeu o lugar de deputado na Câmara dos Comuns, em Londres, e em 2018 desfiliou-se do SNP, à frente do qual esteve mais de 20 anos, desde 1990, com um interregno entre 2000 e 2004. 

Desde então, Alex Salmond apresenta um programa de televisão no canal financiado pelo Estado russo Russia Today (RT), no qual o primeiro convidado foi o antigo presidente independentista da Catalunha Carles Puigdemont, após este ter fugido para Bruxelas.

Leia Também: Comissão conclui que Nicola Sturgeon mentiu sobre caso Salmond