Início Notícias Casa Branca: Delegação visita centro de acolhimento de crianças migrantes

Casa Branca: Delegação visita centro de acolhimento de crianças migrantes

 

Esta visita surge num período em que cresce o número de jovens desacompanhados que entram nos Estados Unidos, noticiou a Associated Press.

A delegação vai visitar um centro em Carrizo Springs, no Texas, altura em que a administração do Presidente Joe Biden enfrenta um crescente desafio humanitário e político na fronteira dos Estados Unidos com o México, e que ameaça ofuscar sua ambiciosa agenda legislativa.

O Presidente Biden já se reuniu, hoje, com os principais membros do seu gabinete e funcionários da imigração, enquanto enfrenta pressão para resolver a situação.

Mais de 750 adolescentes estão detidos em Carrizo Springs, que como outras instalações geridas pelo Departamento de Saúde e Serviços Sociais, inclui um pequeno grupo de crianças com teste positivo à Covid-19 que, supostamente contraiu o vírus sob custódia norte-americana da Patrulha de Fronteira.

Estas crianças estão em isolamento. A Administração de Biden permitiu, nas últimas semanas, a abertura de mais de 10.000 camas em centros de convenções e antigos campos de petróleo, na região sudoeste do país.

O Presidente anunciou hoje ao Congresso que vai abrir um novo centro para acolher 3.000 pessoas em San Antonio e um outro para 1.400 pessoas no centro de convenções, em San Diego.

O Departamento de Saúde e Serviços Sociais vai abrir um segundo espaço em Carrizo Springs e procura alojamento para adolescentes em bases militares em San Antonio e El Paso, no Estado do Texas.

Os Estados Unidos, noticia a agência norte-americana, estão esgotando a sua capacidade, quase tão rapidamente quanto a aumentam. Uma semana após a inauguração, o centro de convenções no centro de Dallas acolhe já cerca de 2.000 adolescentes, tendo uma capacidade para 2.300 camas.

Especialistas em bem-estar infantil afirmam dizem que o Departamento de Saúde e Serviços Sociais deve libertar as crianças mais rapidamente, particularmente cerca de 40% das crianças sob custódia, que têm um dos pais nos Estados Unidos.

A Casa Branca estava a limitar o acesso dos meios de comunicação para cobrirem esta viagem, dando apenas acesso a um estação de televisão. A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, garantiu hoje que a Casa Branca está “comprometida com a transparência e continuará a trabalhar com as agências na criação de meios de acesso à comunicação social a estas instalações”.

Segundo a agência noticiosa norte-americana, surgiram dúvidas sobre falta de transparência na fronteira, já que a administração bloqueou a maioria dos esforços de estranhos para ver e documentar as condições.

Um congressista do Partido Democrata divulgou fotos no início desta semana para mostrar as condições nos centros de acolhimento e os desafios extremos que os agentes de fronteira enfrentam ao vigiar tantas crianças, às vezes por uma semana ou mais, apesar do limite de três dias da Patrulha de Fronteira para a detenção de menores. Com o aumento do número de migrantes, funcionários do Governo dizem que Biden herdou uma situação insustentável que resultou do que foi o enfraquecimento do sistema de imigração do ex-Presidente Donald Trump.

Desde a posse de Biden a 20 de janeiro de janeiro último, os Estados Unidos assistiram a um aumento no número de pessoas encontradas por oficiais de fronteira, tendo-se registado 18.945 pessoas da mesma família e 9.297 crianças desacompanhadas, um aumento, respetivamente de 168% e 63% relativamente ao mês anterior, segundo o Pew Research Center.

Leia Também: Megan Rapinoe pede fim da desigualdade salarial no Congresso