Início Mundo Adesões. Portugal quer alargar negociações à Macedónia do Norte e Albânia

Adesões. Portugal quer alargar negociações à Macedónia do Norte e Albânia

Intervindo num debate no Parlamento Europeu, em Bruxelas, sobre os relatórios dos progressos alcançados por Albânia, Kosovo, Macedónia do Norte e Sérvia com vista a uma futura adesão ao bloco comunitário, Ana Paula Zacarias começou por salientar “o apoio inequívoco da UE à perspetiva europeia da região dos Balcãs Ocidentais” e apontou que “a presidência portuguesa continua empenhada em reforçar o compromisso da UE com a região, em particular nestes tempos difíceis da crise da covid-19”.

Recordando que há um ano o Conselho deu o seu acordo político à abertura de negociações de adesão com Albânia e Macedónia do Norte, tal como recomendado pela Comissão Europeia, a secretária de Estado apontou que os dois países mostraram determinação em avançar na agenda de reformas reclamadas pela UE e em apresentar “resultados tangíveis e sustentados”, embora o processo não tenha conhecido progressos.

“A presidência está determinada em continuar a trabalhar com vista à realização das primeiras conferências intergovernamentais e à abertura formal das negociações de adesão o mais cedo possível”, assegurou Ana Paula Zacarias, que já apontara esta como uma das prioridades da presidência portuguesa, quando em janeiro presidiu pela primeira vez ao Conselho de Assuntos Gerais, onde são tratadas as questões de alargamento.

Esse era também o objetivo da anterior presidência alemã do Conselho da UE, no segundo semestre de 2020, mas as negociações encontram-se bloqueadas pela Bulgária, que se recusa a reconhecer a língua macedónia, argumentando tratar-se de um dialeto do búlgaro.

Antes do bloqueio levantado pela Bulgária, a Grécia tinha também exigido que a Macedónia do Norte alterasse o seu nome — por afirmar que Macedónia referia-se a uma região grega — o que a antiga república jugoslava acabou por fazer.

“Posso assegurar-vos que a presidência continuará a trabalhar nesta área, continuará a congratular-se com todos os progressos que forem sendo alcançados pelos países candidatos, apesar das diferentes circunstâncias e dos difíceis momentos que atravessamos, e reiteramos o nosso compromisso com o processo de adesão dos Balcãs Ocidentais à União”, concluiu Ana Paula Zacarias, no encerramento do debate no hemiciclo.

O relatório da avaliação sobre a Albânia hoje também discutido no hemiciclo foi elaborado pela eurodeputada portuguesa Isabel Santos (PS), que destacou “o ânimo, a coragem e a determinação com que os albaneses têm avançado sem hesitação nas reformas que lhes foram pedidas”, que em seu entender justificam as primeiras negociações formais.

“No imediato, impõe-se que o esforço feito pelo país seja reconhecido sem hesitações nem adiamentos, a bem da credibilidade de todo este processo”, defendeu a deputada.

Leia Também: Saída de Turquia da Convenção de Istambul é “lamentável”