Início Mundo Reino Unido admite desaceleração no programa de vacinação

Reino Unido admite desaceleração no programa de vacinação

“Durante o mês de abril, (…) cerca de 12 milhões de pessoas, incluindo muitos colegas nesta Câmara [dos Comuns], receberão a segunda dose. Estas segundas doses não podem ser atrasadas, uma vez que têm de ser administradas no prazo de 12 semanas após a primeira dose”, explicou o ministro da Saúde, numa intervenção no Parlamento.

Nos últimos dias, as autoridades deram a entender que iriam ter um reforço de vacinas e que o programa iria ser acelerado para passar à segunda fase de pessoas com menos de 50 anos, mas hoje reconheceu que as doses disponíveis são limitadas. 

Hancock adiantou que um lote de 1,7 milhão de doses foi atrasado devido à necessidade de novos testes pelo Instituto Serum Institute da India, o qual reteve outras cinco milhões de doses para uso naquele país e que deverão assim ser entregues mais tarde do que o previsto. 

No entanto, o Governo britânico continua confiante de que vai conseguir cumprir as metas de imunizar todos os maiores de 50 anos e pessoas com comorbidades de risco com a primeira dose até 15 de abril e o resto dos adultos até ao final de julho. 

Até hoje, 25.735.472 pessoas receberam a primeira dose de uma vacina contra o novo coronavírus, das quais 1.879.054 receberam uma segunda dose, a qual é administrada com um intervalo de até 12 semanas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.682.032 mortos no mundo, resultantes de mais de 121,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.743 pessoas dos 816.055 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Reino Unido reporta mais 6.303 contágios e 95 óbitos por Covid-19