Início Mundo Sudão estima que 75.000 etíopes atravessam a fronteira em fuga do Tigray

Sudão estima que 75.000 etíopes atravessam a fronteira em fuga do Tigray

“O número de refugiados etíopes que estão a fugir da situação complicada na província etíope de Tigray aumentou para 75.000 desde novembro passado”, afirmou a Comissão para os Refugiados do Ministério do Interior sudanês num comunicado.

A comissão revelou que a região de Hamdayt, no estado de Kasala, na fronteira entre o Sudão e a Etiópia, recebeu só na semana passada 308 refugiados, enquanto outros 17 refugiados chegaram à região de Al Madina, no estado de Qadarif durante o mesmo período.

“O fluxo de refugiados etíopes continuou no estado do Nilo Azul, adjacente à região etíope de Benishangul, durante os últimos três meses, com o seu número a atingir 8.600 pessoas”, acrescentou a nota.

Um funcionário da Comissão de Refugiados, que solicitou o anonimato, disse à agência de notícias espanhola Efe que é provável que haja refugiados que tenham atravessado a fronteira “sem passar pelos centros de registo”.

Segundo a Cruz Vermelha, 80% da população do Tigray necessita de ajuda humanitária desde que começou o conflito, em 04 de novembro, depois das tropas do Governo de Abiy Ahmed, Prémio Nobel da Paz 2019, terem atacado a Frente Popular de Libertação do Tigray (TPLF), partido que governou a região até ser derrubado.

Organizações como a Amnistia Internacional têm denunciado possíveis “crimes contra a humanidade”, após a morte de centenas de civis em Tigray, entre outros, às mãos das forças eritreias.

O Parlamento Europeu apelou, em 11 de fevereiro, para que seja garantido o “acesso sem restrições” da ajuda humanitária a Tigray, onde a população civil é privada de alimentos, água, eletricidade e combustível.

Leia Também: ONG denuncia destruição “deliberada” de estruturas de saúde em Tigray