Início Notícias Baliza encarnada voltou a ficar a zero e há um dado que...

Baliza encarnada voltou a ficar a zero e há um dado que deixa JJ a sorrir

O Benfica parece ter alcançado, já depois de meia da época, a tão desejada coesão na linha defensiva. As águias derrotaram o Boavista na tarde de sábado (2-0) e somaram o quarto jogo consecutivo sem sofrer qualquer golo, algo pouco visto em 2020/21. Mas há mais um dado que deixará Jorge Jesus naturalmente satisfeito. 

Além de estarem há quatro partidas com a baliza a zero, as águias não permitiram, pela primeira vez esta época, em jogos do campeonato, que o adversário – neste caso, o Boavista – realizasse qualquer remate enquadrado com a baliza de Helton Leite. 

A linha mais recuada às ordens de Jorge Jesus tem sido sujeita a várias alterações desde o início da temporada, por culpa de lesões e ausências forçadas, mas parece finalmente está a dar algum descanso ao treinador encarnado. 

Na realidade Helton Leite até tem sido o rosto mais visível desta melhoria defensiva do Benfica. O guardião brasileiro, que chegou à Luz no verão depois de duas épocas precisamente ao serviço do Boavista, não sofre golos na I Liga há 410 minutos.

JJ distribuiu elogios à defesa

Além de Helton Leite também Lucas Veríssimo e Diogo Gonçalves são outros dos rostos da nova linha defensiva do Benfica. O defesa brasileiro já ganhou o lugar ao experiente Jan Vertonghen, ao passo que o lateral português relegou Gilberto para o banco de suplentes. No sábado, Jorge Jesus distribuiu elogios aos dois e deixou um recado aos concorrentes diretos. 

“O Diogo [Gonçalves] é um jogador que melhorou muito a equipa na fase da decisão. Fez duas boas assistências, tem uma qualidade de cruzamento muito grande e acelera o jogo quando quer. Mas acho que ainda pode fazer melhor. Não acredita tanto nele como eu acredito. Vai ter uma melhor carreira como lateral-direito, não tenho dúvidas nenhumas. Não foi por acaso que o puxei para trás… É verdade que a lesão do capitão, o André [Almeida], obrigou a ter de solucionar com um lateral. Era ou o João Ferreira ou ele [Diogo Gonçalves] com o Gilberto. Com a lesão do Gilberto, o Diogo entrou na equipa e ainda hoje fez duas assistências para golo. Pode melhorar mais, tem capacidade para ter alguns momentos do jogo, ofensivamente, melhores. Porque defensivamente compete-me a mim ensinar-lhe. É isso que ele está a aprender. Não tenho dúvida nenhuma que ele pode ser um excelente lateral-direito”, explicou Jorge Jesus, antes de abordar o caso de Lucas Veríssimo. 

“A entrada do Lucas Veríssimo estabilizou a equipa no corredor central, ninguém tenha dúvidas disso. Cada vez mostra mais que o Benfica acertou na contratação de um grande central. Ninguém duvida. Parece que está no Benfica há um ano, mas na verdade está cá há mês e meio. E porquê? Porque conhece o jogo, por isso é que tem um rendimento mais alto. Depois, é forte nas bolas aéreas. Faz-me lembrar um central que o Benfica teve há uns anos que era imbatível nas bolas altas, o Carlos Mozer. Está a fazer uma boa dupla com o Otamendi”, argumentou o treinador do Benfica. 

Leia Também: Notas do Benfica-Boavista: Seferovic bem pode agradecer a Diogo Gonçalves