Início Mundo ONU prolonga missão na Somália e pede eleições"sem mais demoras"

ONU prolonga missão na Somália e pede eleições"sem mais demoras"

A presidência norte-americana no Conselho de Segurança da ONU refere que o texto de 13 páginas, escrito pelo Reino Unido, foi aprovado por unanimidade pelos 15 membros.

A aprovação do texto tem sido particularmente difícil desde fevereiro entre os ocidentais e os membros africanos do Conselho – Quênia, Níger, Tunísia – que chegaram a forçar Londres a adiar a votação por 15 dias, sendo a questão do financiamento da Amisom um dos principais inconvenientes.

Após o anúncio do resultado, o Níger, em nome dos membros africanos do Conselho, criticou veementemente e longamente a forma como as negociações sobre a resolução foram conduzidas pelo Reino Unido e o fracasso em levar em consideração algumas das observações.

Estas foram “rejeitadas sem qualquer explicação convincente, se é que houve explicação”, disse o embaixador do Níger, Abdou Abarry.

Segundo o embaixador, o texto final não reflete as posições da União Africana.

Abdou Abarry considerou também que os processos de negociações exigem “repensar o sistema dos países” que elaboram resoluções da ONU, nomeadamente as antigas coloniais que também são membros permanentes do Conselho de Segurança.

A resolução autoriza “os estados membros da União Africana a manter o destacamento de 19.626 soldados até 31 de dezembro de 2021” na Somália, com a instrução de “iniciar em 2021 uma transferência gradual” das suas missões de segurança “para as forças de segurança” daquele país.

O mandato de Amisom na Somália acabou no domingo.

Leia Também: Cerca de 2,7 milhões de pessoas na Somália em risco de fome