Início Mundo Israel, República Checa e Hungria concordam em cooperar face à pandemia

Israel, República Checa e Hungria concordam em cooperar face à pandemia

A reunião tripartida decorreu em Jerusalém, e de acordo com o gabinete de Netanyahu centrou-se na “promoção da cooperação em investigação, desenvolvimento e produção de vacinas”.

Após o encontro, os três responsáveis políticos participaram numa conferência de imprensa na qual destacaram a gestão da pandemia por parte de Israel e manifestaram satisfação pelo avanço na cooperação.

“Discutimos uma série de ideias, incluindo o reconhecimento mútuo de passaportes verdes [certificados de vacinação], como já fizemos com outros países, e também a possibilidade de que a República Checa e Hungria se envolvam no plano internacional que pretendemos criar em Israel para a produção de vacinas para o futuro”, assinalou Netanyahu.

Acrescentou ainda que esta iniciativa, sobre a qual não forneceu mais detalhes, deverá ocupar pelos menos dois anos e torna-se particularmente importante porque “é possível que estejamos a viver numa era de pandemias”.

Por sua vez, Orbán regozijou-se que a Hungria se una a “investimento e esforços conjuntos” para produzir em Israel “vacinas e outros medicamentos, não apenas contra o coronavírus mas também contra outros perigos causados pelos novos vírus”.

O chefe do Governo húngaro também destacou a gestão israelita da pandemia e descreveu Israel, onde mais de metade da população recebeu pelo menos uma dose da vacina da Pfizer, como “modelo a seguir” para o seu país.

Por último, Babis também elogiou a gestão do combate à pandemia por Israel, e apesar de não se ter referido à iniciativa conjunta de produção de vacinas, disse que o seu país “tem muito a aprender com a experiência e perícia israelita”, em particular na distribuição das vacinas contra a covid-19.

O encontro de hoje seguiu-se a outra reunião tripartida em Jerusalém na passada quinta-feira entre Netanyahu e seu homólogo austríaco, Sebastian Kurz, e dinamarquesa, Mette Frederiksen, e na qual foi acordada a criação de um fundo comum de investigação e desenvolvimento e abordada a iniciativa israelita para produzir vacinas para o futuro de forma conjunta.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.621.295 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.635 pessoas dos 812.575 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: AO MINUTO: Quatro vezes mais casos do que no desconfinamento de 2020