Início Mundo Alemanha inicia reabertura após três meses de encerramento

Alemanha inicia reabertura após três meses de encerramento

Depois de uma fase em que as infeções tendiam a cair – o que poderia ser resultado das restrições impostas pelo Governo há três meses – a tendência parece agora se ter invertido.

No momento, uma ligeira tendência de aumento é observada, o que tem sido atribuído à presença das novas variantes do vírus.

A incidência semanal de coronavírus na Alemanha aumentou nas últimas 24 horas de 66,1 para 68,0 infeções por 100.000 habitantes, de acordo com os dados mais recentes do Instituto Robert Koch (RKI).

No total, foram registadas 5.011 novas infeções nas últimas 24 horas e ainda 34 mortes, o número mais baixo em termos de óbitos neste ano.

Há uma semana, o RKI registou 4.732 infeções e 60 mortes.

Apesar da tendência de aumento das infeções, iniciou-se uma estratégia de flexibilização das restrições, embora com uma espécie de travão de emergência caso a incidência semanal volte a ultrapassar as 100 infeções por 100.000 habitantes.

As livrarias, que estão permanentemente abertas em Berlim e na Saxónia-Anhalt (leste do país), podem abrir a partir de hoje nos outros catorze estados federais.

Floristas e lojas de jardinagem também beneficiam da estratégia de abertura, mas com número limitado de clientes por metro quadrado.

Os cabeleireiros abriram há uma semana e agora outros serviços que envolvam a proximidade física podem ser oferecidos novamente, embora em parte com um conceito de segurança que envolve frequentes testes rápidos para o novo coronavírus.

Em regiões onde a incidência é inferior a 50 infeções por 100.000 habitantes, outros negócios também podem ser abertos, com limitação do número de clientes.

Se a incidência for de entre 50 e 100 infeções por 100.000 habitantes, os clientes só podem ser atendidos com hora marcada.

O mesmo se aplica a museus, galerias, zoológicos e jardins botânicos.

O desporto ao ar livre sem contacto, que até agora era permitido individualmente ou entre pessoas que moravam sob o mesmo teto, agora será possível em grupos de até 10 pessoas em regiões com incidência semanal inferior a 50 e de até cinco pessoas em regiões com uma incidência entre 50 e 100 infeções por 100.000 habitantes.

O plano prevê que em duas semanas seja feita uma segunda etapa da flexibilização das restrições, que também beneficiaria a gastronomia ao ar livre, mas tudo depende de como evoluem os números, já que nenhuma flexibilização pode ser aplicada com incidência superior a 100 infeções por 100.000 habitantes.

O estado da Turíngia (leste do país) não está incluído na primeira etapa de reabertura, uma vez que a incidência regional atualmente é de 132 infeções por 100.000 habitantes.

Desde o início da pandemia, 2.510.912 casos do novo coronavírus foram registados na Alemanha; 72.647 pessoas morreram de causas relacionadas com a doença e 2.310.844 superaram-na. Os casos ativos são estimados em 127.421.

Um total de 4.915.987 pessoas receberam pelo menos a primeira dose da vacina contra o coronavírus, o que equivale a 5,91% da população, e a segunda 2.410.230 pessoas, 2,9% da população. Desde o início da pandemia, 2.510.912 casos do novo coronavírus foram registados na Alemanha e 72.647 pessoas morreram de causas relacionadas à covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2,58 milhões mortos no mundo, resultantes de mais de 116,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Leia Também: Alemanha com mais 5.011 infetados e 34 mortes nas últimas 24 horas