Início Notícias Trabalhadores do Bingo do Belenenses protestam contra salários em atraso

Trabalhadores do Bingo do Belenenses protestam contra salários em atraso

“Estes trabalhadores estão completamente desesperados, sem receber absolutamente nada, apesar de lhes ter sido comunicado que estavam em ‘lay-off’, e ninguém sabe porquê”, disse à agência Lusa Glória Pereira, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul.

Segundo a sindicalista, os mais de 70 trabalhadores da sala de jogo do Bingo do Belenenses estão a passar “grandes dificuldades financeiras para conseguir fazer face aos encargos familiares”, dado que não receberam os salários dos meses de janeiro e fevereiro nem o subsídio de Natal de 2020.

Glória Pereira lembrou que o bingo, que foi concessionado pelo Governo de António Costa à empresa ‘Números Combinados Lda’, através de concurso público, está encerrado há quase um ano, embora tenha reaberto por algum tempo em meados do ano passado e voltado a encerrar no outono.

Os problemas começaram ainda no ano passado, quando os trabalhadores não receberam o subsídio de férias, mas o sindicato da hotelaria conseguiu uma reunião com o Clube de Futebol ‘Os Belenenses’ e aquela remuneração foi paga.

“Dado que o vínculo laboral destes trabalhadores é com o clube desportivo, é possível que este tenha dívidas que impeçam os trabalhadores em ‘lay-off’ de receber a remuneração paga pela Segurança Social, mas não sabemos”, disse a dirigente sindical.

O Sindicato da hotelaria pediu há cerca de uma semana uma reunião à ministra do Trabalho e, como não obteve entretanto resposta, marcou a concentração para o início da tarde de hoje, e nessa altura irá tentar ser recebido por Ana Mendes Godinho para lhe pedir ajuda.

“Não resta outra alternativa aos trabalhadores senão a de lutar e denunciar publicamente esta situação e vamos tentar que a ministra do Trabalho nos receba e ajude a resolver o problema, exigindo às direções do C.F. ‘Os Belenenses’ e dos ‘Números Combinados’, que assumam as responsabilidades que têm com os seus trabalhadores da sala de Bingo”, afirmou Glória Pereira.

Leia Também: Sindicatos pedem ao Governo solução na Groundforce para o “curto prazo”