Início Mundo Presidente do Chile solicita prolongamento do "estado de catástrofe"

Presidente do Chile solicita prolongamento do "estado de catástrofe"

Esta medida coincidiu com a divulgação pelo Ministério da Saúde de 5.325 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, o número mais elevado desde a fase mais dura da pandemia em junho de 2020, quando os contágios rondaram os 7.000.

O estado de exceção constitucional, por calamidade pública, em vigor no Chile foi decretado pela primeira vez em 18 de março de 2020 por um período de 90 dias, apenas duas semanas após ter sido conformado o primeiro caso de contágio de covid-19 no país.

Desde então, foi prorrogado em três ocasiões por um prazo idêntico de 90 dias, a última em 03 de dezembro de 2020 e com término em 13 de março.

Uma nova prorrogação equivaleria a manter o estado de catástrofe por mais de um ano, mas para esta medida o Governo conservador necessita da aprovação do Congresso nacional, com duas câmaras.

“Apesar de nos encontrarmos em pleno processo de vacinação da população, e atendendo ao atual processo epidemiológico, torna-se relevante prorrogar o estado de exceção constitucional de catástrofe em todo o território nacional, até 30 de junho de 2021, tendo como objetivo que as medidas sanitárias adotadas se ajustem ao marco constitucional e legal vigente”, indica o texto assinado por Piñera.

O ofício será analisado na próxima semana pelo Congresso, primeiro pela Câmara de deputados (parlamento), e de seguida pelo Senado.

Ainda de acordo com o relatório de hoje das autoridades da Saúde, o número total de pessoas diagnosticadas com covid-19 no Chile atingiu as 845.450, com 27.317 casos ativos e 796.791 recuperados.

Nas últimas 24 horas foram ainda registadas 90 mortes por causas associadas à covid-19, elevando para 20.928 o total de falecidos em todo o país.

Em paralelo, o Chile (cerca de 18 milhões de habitantes) promove uma intensa campanha de vacinação, sendo o líder da América Latina com quase 3.9 milhões de pessoas já inoculadas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.570.291 mortos no mundo, resultantes de mais de 115,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.486 pessoas dos 808.405 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Guatemala e Chile com alerta de tsunami devido a sismo na Nova Zelândia