Início Mundo África com mais 290 mortos e 10.711 infetados nas últimas 24 horas

África com mais 290 mortos e 10.711 infetados nas últimas 24 horas

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de infetados nos 55 Estados-membros da organização é de 3.937.028 e o de recuperados nas últimas 24 horas é de 10.701, para um total de 3.512.473 desde o início da pandemia.

A África Austral continua a ser região mais afetada, registando hoje 1.847.873 infetados e 57.053 mortos por contágio com a doença. Nesta região, a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, regista 1.517.666 casos e 50.462 mortes.

O Norte de África é a segunda zona mais atingida pela pandemia, com 1.173.110 infetados e 33.332 vítimas mortais.

A África Oriental contabiliza 413.238 infeções e 7.688 mortos, enquanto na África Ocidental o número de infeções é de 396.834 e o de mortes ascende a 5.118.

A África Central tem 105.973 casos e 1.810 óbitos.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 10.871 mortes e 184.755 infetados, seguindo-se Marrocos, com 8.669 óbitos e 485.147 casos.

Entre os países mais afetados estão também a Tunísia, com 8.106 óbitos e 235.643 casos, a Argélia, com 3.004 mortos e 113.669 infetados, e a Etiópia, com 2.394 vítimas mortais e 162.954 infeções.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Moçambique regista 674 mortes e 61.170 casos, seguindo-se Angola (511 óbitos e 20.981 casos de infeção), Cabo Verde (152 mortos e 15.621 casos), Guiné Equatorial (93 óbitos e 6.210 casos), Guiné-Bissau (49 mortos e 3.301 casos) e São Tomé e Príncipe (30 mortos e 1.895 casos).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro de 2020, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.560.789 mortos no mundo, resultantes de mais de 115,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: África quer evitar a todo custo tornar-se “continente da covid”