Início Mundo Presidente francês diz que não levanta restrições antes de abril

Presidente francês diz que não levanta restrições antes de abril

“Ainda temos de aguentar por várias semanas. Entre quatro e seis semanas”, afirmou Emmanuel Macron em resposta a um jovem que lhe perguntou se o recolher obrigatório, atualmente em vigor entre as 18:00 e as 06:00, poderia passar a começar às 19:00.

A conversa aconteceu durante uma visita do Presidente a uma unidade industrial realizada hoje em Stains, na região de Paris.

A atual hora de recolhimento está em vigor desde o dia 16 de janeiro, antecipando em duas horas a hora que estava imposta desde 15 de dezembro (20:00), para tentar diminuir o avanço da pandemia.

O avanço da pandemia fez com que novas restrições locais passassem a ser aplicadas, como o confinamento domiciliário durante o fim de semana nas cidades de Nice (sul) e Dunquerque (norte), bem como nas suas áreas de influência.

O Governo também colocou sob vigilância reforçada 20 departamentos, onde vive cerca de 40% da população do país, incluindo a região de Paris, estando agendado para 06 de março a decisão de tornar esse confinamento parcial também nessas áreas.

A França contabiliza, desde o início da pandemia e até domingo, 3,7 milhões de infetados e 86.454 mortos, dos quais 122 ocorreram em hospitais nas últimas 24 horas.

O ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, também destacou hoje que uma das prioridades é conseguir manter as escolas abertas e que o objetivo é fazer 300 mil exames de saliva por semana até meados de março.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.531.448 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 114 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: AO MINUTO: “70% dos profissionais de saúde já recebeu a primeira dose”