Início Mundo Navalny: Pacote de sanções contra a Rússia formalizado na próxima semana

Navalny: Pacote de sanções contra a Rússia formalizado na próxima semana

“Na segunda-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros chegaram a um acordo político para impor medidas restritivas aos responsáveis pela detenção e condenação [de Alexei Navalny] e a decisão será formalizada na próxima semana, no quadro do novo regime europeu de sanções global que pune violações dos direitos humanos”, sublinhou Charles Michel em conferência de imprensa após uma cimeira virtual que reuniu o conjunto dos líderes dos 27.

Abordando um tema que não estava na agenda dos chefes de Estado e de Governo, Charles Michel referiu que os líderes só irão ter “um debate estratégico” sobre a Rússia na cimeira física que terá lugar a 25 e 26 de março, mas reiterou que condenam o “tratamento de Alexei Navalny” e “exigem a sua libertação imediata”.

Os chefes de diplomacia da União Europeia (UE) chegaram a um “acordo político” para impor novas sanções a responsáveis pelo julgamento e detenção do opositor russo, Alexei Navalny, na segunda-feira.

“Demos acordo político a que se inicie um processo de sanções a personalidades russas, a designar nos canais próprios, que têm responsabilidades nas recentes violações dos direitos humanos, em particular ligadas à condenação do opositor russo, Alexei Navalny”, tinha dito o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, na ocasião.

Santos Silva tinha anunciado ainda que cabe agora ao Alto Representante da UE para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança, Josep Borrell, fazer uma proposta relativa aos indivíduos a serem introduzidos na lista de sanções, mas informou que será um dos primeiros casos de aplicação de sanções no quadro do regime que pune violações de direitos humanos, e que tinha sido adotado pelos chefes da diplomacia europeia em 07 de dezembro de 2020.

Em resposta ao anúncio das sanções, o Presidente da Rússia, Vladimir Putin, acusou, na quarta-feira, o Ocidente de querer “acorrentar a Rússia”, com sanções económicas”, minando a sua estabilidade e valores para “enfraquecer” o país e “controlá-lo desde o exterior”.

O envenenamento do opositor russo Alexei Navalny já tinha motivado a introdução de medidas restritivas em outubro de 2020.

Na altura, seis indivíduos e uma entidade que estavam “envolvidos na tentativa de homicídio” tinham sido sancionados, ficando proibidos de viajar para a Europa e tendo os seus bens congelados no espaço europeu.

Leia Também: Navalny. Opositor russo transferido da prisão para local desconhecido