Início Notícias Restrições ameaçam ajuda humanitária na Coreia do Norte, avisa ONU

Restrições ameaçam ajuda humanitária na Coreia do Norte, avisa ONU

O país sofre há muito de uma grave escassez alimentar e as sanções internacionais impostas para pressionar o regime norte-coreano a renunciar ao programa nuclear contribuem para agravar o problema.

O programa de ajuda humanitária do PAM é de longe o maior na Coreia do Norte, fornecendo todos os meses, segundo a sua página eletrónica, ajuda alimentar especial a um milhão de grávidas, mães em aleitamento e crianças.

A ajuda humanitária à Coreia do Norte, já complexa devido às sanções económicas, enfrenta um desafio suplementar devido às restrições anti-covid impostas por Pyongyang.

A Coreia do Norte foi, no final de janeiro do ano passado, o primeiro país do mundo a fechar as suas fronteiras para se proteger do novo coronavírus, que surgira na vizinha China.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.466.453 mortos no mundo, resultantes de mais de 111 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

No entanto, a Coreia do Norte continua a dizer que não registou qualquer caso, o que os especialistas questionam.

A ONU estima que mais de 40% da população norte-coreana sofra de malnutrição.

Leia Também: AO MINUTO: 2.ª equipa alemã já em Portugal; OMS pede rapidez na vacinação