Início Mundo Manifestantes pela libertação de Hasél lançam garrafas contra polícia

Manifestantes pela libertação de Hasél lançam garrafas contra polícia

Pelo oitavo dia consecutivo, foi convocada nova manifestação, em Barcelona, em apoio a Pablo Hasel, tendo começado por volta das 19:00 locais (menos uma em Lisboa) na Praça Letamendi, onde 200 pessoas se reuniram inicialmente, embora o número tenha subido para 450 após uma hora, segundo dados da Guardia Urbana.

Da praça Letamendi, os manifestantes desceram a rua Aragó até a rua Urgell com o objetivo de subir até a praça Francesc Macià, embora um dispositivo antimotim dos Mossos d’Esquadra, policia regional catalã, tenha impedido a passagem para a parte alta da cidade .

A tensão aumentou a partir das 20:40, quando grupos de manifestantes atiraram objetos contra a linha da polícia e cruzaram alguns contentores como barricada, antes de se dispersarem por diferentes ruas.

Um jornalista foi ferido na rua Villarroel com o lançamento de garrafas pelo grupo de manifestantes, segundo fontes policiais.

Nos anteriores sete dias de mobilizações, os Mossos d’Esquadra e a polícia local prenderam 109 pessoas em protestos que, nalguns casos, degeneraram em violência, tendo sido contabilizados mais de 100 feridos, 91 deles polícias catalães.

Uma manifestante perdeu um olho, em consequência de um disparo feito por agente da polícia.

Pablo Hasél, detido na passada terça-feira na Universidade de Lérida, tornou-se um símbolo da liberdade de expressão em Espanha, depois de ter sido condenado a nove meses de prisão por, segundo a acusação, insultar as forças de ordem espanholas, glorificar o terrorismo e injuriar a monarquia.

Os factos pelos quais o ‘rapper’ foi condenado remontam a 2014 e 2016, quando publicou uma canção no YouTube e dezenas de mensagens no Twitter, acusando as forças de ordem espanholas de tortura e de homicídios.

Na segunda-feira da semana passada, Pablo Hasél barricou-se na Universidade de Lérida, a sua cidade natal, na companhia de um grupo de apoiantes, mas a polícia catalã conduziu-o à prisão na manhã seguinte, para começar a cumprir a pena.

As manifestações em Barcelona começaram ao fim da tarde desse dia, mas a condenação de Hasél a uma pena de prisão provocou uma onda de protestos em Espanha.

Leia Também: Novos protestos em Barcelona, Girona e Tarragona pela libertação de Hasél