Início Notícias Plano de reestruturação da angolana TAAG já custou 700 milhões de dólares

Plano de reestruturação da angolana TAAG já custou 700 milhões de dólares

O ministro, que falava na abertura do Angola Aeronautic e-Summit, destacou que o executivo “assume o compromisso” de manter a companhia de bandeira, por razões de prestação de um serviço público, e por razões de natureza económica, para promover a diversificação da economia angolana, apesar dos constrangimentos adicionais da covid-19.

“Neste esforço de reafirmação, a TAAG mereceu, mesmo em tempo adverso de pandemia, o apoio do executivo, na aquisição de seis aeronaves do tipo Dash-8 Q400, das quais três já chegaram ao país, bem como na aprovação e implementação do seu plano de reestruturação e recapitalização, o que, globalmente, representou para o país um esforço financeiro de aproximadamente 700 milhões de dólares”, sublinhou o governante.

Ricardo Abreu declarou-se convicto, face ao impacto da pandemia sobre as companhias aéreas, de que o apoio à TAAG irá continuar, “principalmente quando no contexto regional, vemos outros países irmãos, desistindo ou mesmo abdicando dessa visão”, o que no seu entender pode criar uma “oportunidade material, de perspetivar outras dimensões” para a companhia angolana.

E deixou alguns recados quanto à sua visão sobre o que espera da empresa, cujo processo de privatização pretende iniciar em 2022: “neste setor, tão exigente, tão competitivo, tão especializado, não há espaço para quem não tem o compromisso de assumir e vestir a camisola, não há espaço para a má gestão dos recursos, não há espaço para quem não acredita na razão de existir de um serviço de qualidade às pessoas, às empresas e ao país”.

O ministro abordou também, durante a sua intervenção, as ações que o Governo tem implementado, entre as quais a transformação da TAAG em sociedade anónima, por forma a permitir a integração de candidatos ao processo de privatização, e a cisão da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (ENANA) em Empresa Nacional de Navegação Aérea (ENNA), focada nas prioridades da segurança da navegação aérea e Sociedade Nacional de Gestão de Aeroportos (SGA) especializada na gestão das infraestruturas aeroportuárias.

A cimeira virtual Angola Aeronautic e-Summit é uma iniciativa do Ministério dos Transportes de Angola em parceria com a Angola iTech, que visa debater os desafios e oportunidades para o futuro aeronáutico do país.

Leia Também: Voos da angolana TAAG regressam a São Tomé na quarta-feira