Início Tecnologia Facebook remove página principal do exército de Myanmar

Facebook remove página principal do exército de Myanmar

“De acordo com as nossas políticas globais, eliminámos a página Tatmadaw True News por repetidas violações dos nossos padrões, que proíbem o incitamento à violência”, precisou um porta-voz do Facebook numa declaração enviada à agência Efe, referindo-se à página principal do exército birmanês nesta plataforma.

Esta decisão da empresa liderada Mark Zuckerberg surge um dia depois de as forças de segurança terem disparado sobre manifestantes que protestavam contra a junta militar na segunda maior cidade do país, matando duas pessoas.

Após esta carga policial em Mandalay, os protestos alargaram-se hoje a todo o país.

Na sexta-feira, os birmaneses receberam a notícia da morte de Mya Thwate Thwate Khaing, uma jovem de 20 anos, baleada na cabeça no dia 09 deste mês durante um protesto, tornando-se a primeira vítima mortal desde o golpe de Estado em 01 de fevereiro.

Cerca de um milhar de pessoas concentrou-se hoje em frente ao hospital onde a jovem faleceu, com as autoridades a criarem um forte dispositivo de segurança e a negarem a entrada aos familiares mais próximos.

Segundo a Associated Press, nem os avós, que viajaram cinco horas, puderam ver a neta, cujo funeral foi acompanhado por um logo cortejo de populares.

O golpe militar, no dia 01 de fevereiro, atingiu a frágil democracia da Birmânia, depois da vitória do partido de Aung Sang Suu Kyi nas eleições de novembro de 2020.

Leia Também: Guterres condena “o uso da força letal” em Myanmar