Início Notícias Confrontos na RD Congo entre forças armadas e milícias fazem três mortos 

Confrontos na RD Congo entre forças armadas e milícias fazem três mortos 

Segundo o ministro do interior da província de Tshopo, Dany Mongo, na sequência dos combates foi capturado o líder da milícia Simba, Guy Lumumba, que proclamava ser filho do líder histórico congolês Patrice-Emery Lumumba.

Juntamente com Lumumba, referiu a mesma fonte, foram capturados 17 milicianos e seus dependentes – 9 mulheres e 10 crianças – encontrando-se ainda em fuga outros insurgentes.

Os combates tiveram lugar próximo do gabinete do governador da província de Tshopo, quando elementos da milícia, “em conivência com membros de um grupo místico-religioso”, dispararam sobre os militares congoleses que faziam guarda ao local, de acordo com o comunicado, que garante que “a calma regressou à cidade e a situação está totalmente sob controlo das forças governamentais”.

Além dos três mortos, registaram-se três feridos, dos quais dois do lado dos militares e um dos insurgentes.

Activas na região de Kisangani, cidade situada 1.200 quilómetros a nordeste da capital, Kinshasa, as milícias Simba são suspeitas de vários ataquesrecentes, nomeadamente um que na última semana vitimou um militar e um polícia.

O nordeste da RDC tem estado mergulhado nos últimos anos num longo conflito alimentado por dezenas de grupos rebeldes armados nacionais e estrangeiros, apesar da presença do Exército congolês e das forças da Missão das Nações Unidas (Monusco), que enviou mais de 15.000 soldados para o país.

Segundo um relatório da agência das Nações Unidas divulgado hoje, pelo menos 5,2 milhões de pessoas foram deslocadas à força na nação africana – tornando-a no segundo país com mais deslocados internos do mundo, depois da Síria -, metade das quais foram deslocadas nos últimos 12 meses.

Nas províncias mais afetadas pelo conflito – Ituri, Kivu do Norte, Kivu do Sul e Tanganica – mais de oito milhões de pessoas estão gravemente inseguras em termos alimentares, de acordo com a mesma fonte.

Leia Também: Seis jornalistas condenados após denúncia contra patrão na RD Congo